Autor Tópico: Como vão ser implementadas as "medidas restritivas" aos "sistemas de mineração"?  (Lida 615 vezes)

marioleite

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 15
  • Karma: +1/-0
Eu ainda não andava por cá quando foi o primeiro referendo, mas também não vejo grande informação relativa a uma solução técnica para limitar os miners.

Se o problema está na degradação da rede penso que seria necessário alterar o algoritmo de recálculo da dificuldade de mineração, para diminuir o tempo que a dificuldade demora a ajustar-se após alterações súbitas no hashpower da rede, mas pelo que percebi do referendo o objectivo é mesmo limitar as pools "parasitas", como já vi serem referidas, certo?

Nesse caso qual seria a implementação técnica a aplicar numa situação destas?

Passará por criar uma "whitelist" de nodes que podem minerar, ou "blacklist" dos que não podem (o que criaria centralização de poderes em quem gerisse essa lista)?

Vão alterar o core para fazer com que os validation nodes rejeitem blocos que sejam minerados num intervalo de tempo considerado demasiado baixo para o grau de dificuldade da rede?

Dessa maneira as pools não poderiam, de repente, entrar com todo o hashpower disponível, teriam de o fazer faseadamente.

Um sistema desse tipo faria com que a entrada repentina de uma grande quantidade de hashpower, que permite obter grandes quantidades de moeda enquanto a dificuldade não se ajusta, deixasse de ser possível, ou pelo menos mais difícil, mas também podia fazer com que fossem rejeitados blocos minerados normalmente mas em que realmente a solução fosse bem mais fácil de encontrar do que o esperado.

Uma solução mista de PoW e PoS? Se bem que acho que uma alteração deste tipo obrigaria a fazer um hard fork na rede.

Qual é a solução pensada pelos developers para implementar a decisão do referendo?

EugenioApolo

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 415
  • Karma: +24/-0
Como não pareces um "bitcoiner português" nem um "coindev frustrado" e andas por aqui há uns dias vou gastar algum tempo - que na verdade não tenho - a responder-te... algumas coisas poderás gostar outras nem por isso...

Eu ainda não andava por cá quando foi o primeiro referendo, mas também não vejo grande informação relativa a uma solução técnica para limitar os miners.
Não há disponível em público. Nem se discute em público. Se não sabes onde isso se discute é porque não estás pronto para discutir... porque ainda não te informaste o suficiente... na verdade nem sequer viste o forum com atenção...
Se o problema está na degradação da rede penso que seria necessário alterar o algoritmo de recálculo da dificuldade de mineração, para diminuir o tempo que a dificuldade demora a ajustar-se após alterações súbitas no hashpower da rede, mas pelo que percebi do referendo o objectivo é mesmo limitar as pools "parasitas", como já vi serem referidas, certo?
Pois... o algoritmo da diff... resolve o assunto... encontra a bala mágica... e recebes 10 btczinhos de uma data de coins... talvez de te possas reformar cedo... ainda que haja algos de diff um pouco melhores que o nosso... 10-20% melhores segundo dizem os seus criadores... mas não me parece significativo... talvez venha a achar diferente sobre isso quando, com o muito esforço muito empenhado de muitos, o CESC valer 1 eur... ou alguém me prove com algo tão simples como um gráfico (nas condições não ideais...) que é mesmo assim...
Já agora nota que essa é uma falsa questão... quando comecei a escrever isto os blocos eram um relógio (quando analisados por hora) ... porque as multipools predatórias tinham ordens de compra para semanas de mineração de CESC... logo mineravam como cordeirinhos bem comportados... querem estabilizar a mineração? é fácil... falem do CESC aos vossos amigos para que eles possam considerar comprar... porque eles nunca comprarão se não souberem que existe...
Nesse caso qual seria a implementação técnica a aplicar numa situação destas?

Passará por criar uma "whitelist" de nodes que podem minerar, ou "blacklist" dos que não podem (o que criaria centralização de poderes em quem gerisse essa lista)?
Isso não seria técnica... seria politica ou policiamento... e repara... hoje seria eu a gerir a lista e, claro... o meu descernimento é total e sou um dos bons (todos nós pensamos assim... não é?); mas e se eu morrer ou ficar senil, o que acontecerá? Será um minerador português, fascista, ganancioso e corrupto a me substituir? Digamos alguém vindo dum qualquer governo da nação... tipo ex-secretário de estado ou ex-ministro... a chatice de certas coisas é que se sabe como começam mas não se sabe como acabam...
Vão alterar o core para fazer com que os validation nodes rejeitem blocos que sejam minerados num intervalo de tempo considerado demasiado baixo para o grau de dificuldade da rede?

Dessa maneira as pools não poderiam, de repente, entrar com todo o hashpower disponível, teriam de o fazer faseadamente.
Um sistema desse tipo faria com que a entrada repentina de uma grande quantidade de hashpower, que permite obter grandes quantidades de moeda enquanto a dificuldade não se ajusta, deixasse de ser possível, ou pelo menos mais difícil, mas também podia fazer com que fossem rejeitados blocos minerados normalmente mas em que realmente a solução fosse bem mais fácil de encontrar do que o esperado.
Isso da hora dos blocos não é bem assim... se vires o block explorer notarás que existem blocos com hora anterior ao que os precede... a magia da rede tem limites e tolerância (o que acho muito bem... se tiveste um servidor sabes o que pode acontecer às horas dele...). Resposta simples: essa solução não funciona. Só mesmo alterando comportamentos considerados padrão na "industria"... o que - concordo - nunca se deve excluir... já invalidar os blocos que provocassem um desvio na média de emissão dos últimos x superior a uma percentagem y... talvez desse para implementar... mas não resolvia os picos súbitos... talvez até piorasse os tempos sem emissão... mas é facil de testar... a comunidade organiza-se, gasta alguns bitcoins a comprar mineração por aí para testes realistas durante algum tempo e chega-se a conclusões... (ah! espera... a comunidade  não se organiza para comprar mineração real contra as multipools, quer apenas que sejam banidas por "decreto" ... se calhar também não vai fazer isso... se calhar é por isso que a Gulden valia o mesmo que nós há 2 anos e agora vale um bocado mais... tipo quase 0.1 eur...)
Uma solução mista de PoW e PoS? Se bem que acho que uma alteração deste tipo obrigaria a fazer um hard fork na rede.
Forks... isso não é problema... quem ainda não forkou é porque vai forkar... mas PoS tem coisas que eu não gosto lá muito... tipo aqueles tipos que fazem dinheiro porque já têm dinheiro... só mesmo se não houver uma melhor ideia é que eu escrevo esse código...
façam
Qual é a solução pensada pelos developers para implementar a decisão do referendo?
O referendo é uma intenção expressa... tipo a licença para matar do 007... que deve ser usada com muito, muito descernimento...
Os "devs" não têm a "obrigação" de "pensar" nada... ou se o fizeram não têm que o tornar público porque:
1. Não são devs contratados e pagos com ordenado mensal pago pela comunidade, para implementar o que quer que seja, como em certas coins...
2. Não são devs...  são os Criadores do CryptoEscudo... que definiram um objetivo politico-social no qual cada um pode escolher participar... ou não...
3. Não têm que provar ou demonstrar nada enquanto pagarem algumas contas que permitem que uma série de coisas funcionem próximo do desejável...
4. Não devem fazer nada para mudar a situação enquanto a mineração do fork "mau e estrangeiro" for de 8+ e a do "bom e português" parar em 0.15...
5. Não devem permitir que o projeto, do qual detêm a marca registada, se torne numa qualquer demência nacionalista para lá do decente e razoável...

Há um universo onde há abracinhos amorosos permanentes, futuros brilhantes em progresso e valorizações infinitas por magia. E depois há a realidade... azul ou vermelho? escolhe o comprimido...

marioleite

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 15
  • Karma: +1/-0
Antes de mais, obrigado por teres respondido.

Eu nunca fiz desenvolvimentos nesta área, ando a brincar um pouco nas exchanges com compra e venda de bitcoins, mas é mais para ter uma noção desse mundo do que realmente para investir.

Os CESC que realmente tenho foram todos comprados, investimento meu, nunca consegui minerar o suficiente para levantar de uma pool e nunca vendi o que comprei.

Compreendo perfeitamente que não exista qualquer tipo de obrigação de seja o que for por parte de quem faz o desenvolvimento deste projecto, embora, na minha opinião pessoal, maior transparência faça crescer a confiança do projecto por parte de terceiros, e consequentemente atraia mais pessoas para o projecto, mas como disse, isso é uma opinião pessoal.

Eu percebo a posição de não querer ter uma situação de quem tem mais dinheiro ganha mais só porque tem dinheiro, como poderia acontecer com o PoS, mas o mesmo não acaba por acontecer com PoW? Quem tem mais dinheiro para investir em equipamento é quem mais ganha.

No geral penso que o que tenho a retirar será que a solução mais viável para resolver esta situação será aumentar o hashing power na rede de modo a que o peso das multipools não se façam sentir tanto, além de que solidifica a rede.

Estou correcto?